Avenida Marquês de São Vicente, 576 - Cj. 1106 e 1107, Barra Funda - São Paulo/SP
  • (11) 2548-9806
  • (11) 2548-9873
  • (11) 2645-0372
  • (11) 2645-0379

Mais do que prestação de serviços...

Uma parceria!

Na contramão da Selic, Caixa Econômica reduz juros para financiamento imobiliário

Crédito imobiliário poderá ser contratado com taxas a partir de 2,95% ao ano, somadas à remuneração da poupança

SÃO PAULO – A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (15) a redução de suas taxas de juros para o financiamento imobiliário.

O movimento vai na contramão do aumento da taxa básica de juros, a Selic, que tem sido consecutivamente elevada pelo Banco Central (BC) de forma a controlar a alta da inflação.

Com a mudança, clientes poderão contratar o crédito imobiliário da instituição financeira com taxas a partir de 2,95% ao ano, somadas à remuneração da poupança, o que representa queda de 0,4 ponto percentual em relação aos patamares atuais.

Segundo a Caixa, os clientes poderão realizar as simulações com as novas condições a partir do dia 4 de outubro. As contratações se iniciam no dia 18 do mesmo mês.

“Com a redução, a Caixa apresenta aos clientes as melhores condições de financiamento imobiliário do mercado, por meio da modalidade Poupança Caixa: menor taxa e maior prazo, com até 35 anos para pagamento, além da opção de carência de seis meses para início da parcela de juros e amortização”, escreve a instituição financeira, em nota à imprensa.

No começo da semana, o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, já havia adiantado a redução nas taxas. “A Caixa vai reduzir os juros. Não tá aumentando a Selic? Então, a Caixa Econômica Federal, com um lucro que nunca teve, sem roubar, vai diminuir os juros da casa própria”, disse na segunda-feira (13).

No segundo trimestre deste ano, a Caixa teve lucro líquido de R$ 6,3 bilhões, aumento de 144,7% em relação ao apresentado um ano antes e de 36,6% na comparação trimestral. O lucro do trimestre foi o maior resultado do período em toda a série histórica do banco.

De acordo com a Caixa, o bom desempenho foi motivado por margens financeiras melhores, além da redução com os gastos que o banco tem para se proteger da inadimplência. Por sua vez, as receitas de serviços também melhoraram no período em meio ao cenário de retomada da economia brasileira.

Atualmente, a carteira de crédito habitacional da Caixa soma um volume R$ 534,6 bilhões e supera os 5,8 milhões de contratos, o que representa 67,1% de todo o financiamento imobiliário concedido no país. O dado representa um crescimento de 20,4% em comparação com o registrado em 2018.

Segundo a Caixa, somente em agosto de 2021, mês de maior contratação na história da Caixa, foram R$ 14,01 bilhões em novos contratos, sendo R$ 9,04 bilhões com recursos SBPE.